terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Squash: benefícios, lesões e prevenção


(crónica de Tânia Santo)

O Squash foi considerado o desporto mais completo por uma pesquisa, feita pela revista Forbes em 2003, isso porque, exige muita preparação física e pelos vários benefícios à saúde.

O jogo é disputado entre dois jogadores num campo fechado, com recurso a raquetes e uma bola, o  objetivo do jogo é não deixar que a bola toque no chão duas vezes, fazendo com que a mesma chegue sempre à parede da frente, dentro dos limites do campo, na pancada de cada jogador.  É um desporto de multi-sprints. O atleta é capaz de perder cerca de 517 calorias em 30 minutos.

Mas a perca de calorias é apenas um dos benefícios, com a prática de squash é possível:

• Aumentar o condicionamento cardiorrespiratório.
• Fortalecer toda a musculatura do corpo: braço, costas, peito, ombros, abdomen, pernas e glúteos.
• Desenvolver o ritmo, a coordenação motora, o equilíbrio, a agilidade, a força, a flexibilidade, a capacidade de concentração e a capacidade de resposta a estímulos.
• Relaxar e aliviar as tensões.
• Prevenir a hipertensão, o diabetes e a osteoporose.
• Aumentar a memorização e o raciocínio.

Atenção, para que seja possível desfrutar de todos esses benefícios, alguns cuidados são necessários para evitar lesões. O principal é passar por uma avaliação física e ter o acompanhamento de um profissional, para a prática da modalidade com a técnica correcta.

O Squash é um jogo de raquete e bola de alta velocidade que requer o uso repetitivo da coluna vertebral, pernas e especialmente do braço dominante. Como resultado desse envolvimento de todo o corpo, as lesões podem ocorrer em qualquer lugar do ombro, cotovelo e pulso, até o joelho e o tornozelo, bem como na coluna vertebral. Existe um risco de lesões na cabeça e nos olhos da bola ou da raquete e não se esqueça de quão difícil e implacável as paredes podem ser quando se corre contra elas!

A maioria das lesões do Squash são resultado de uma lesão aguda e não derivadas do uso excessivo. No entanto, a lesão do membro superior mais comum observada no Squash é a epicondilite, que é uma lesão por uso excessivo e por técnica pobre.

Existe uma grande variedade de lesões agudas que podem ocorrer ficam alguns exemplos: As lesões faciais, especialmente nos olhos, são prevalentes por isso até aos 18 anos é obrigatório o uso de óculos de proteção. Devido à natureza rápida e ágil do Squash, não é de admirar que haja uma maior prevalência de entorses do tornozelo, pequenas roturas musculares, estiramentos dos músculos das costas, estiramentos dos ligamentos do joelho, lesões de menisco e roturas do tendão de aquiles, predominantemente em atletas de competição.

Para evitar estiramento muscular, é importante aquecer antes do exercício e alongar logo após, e como o squash causa um grande desgaste físico, é necessária grande hidratação.

Os factores de risco identificados são:
  • mais de 40 anos de idade;
  • inexperiência ou técnica pobre;
  • nível fraco de fitness, força e resistência;
  • lesão anterior; número e nível de prática;
  • equipamento/calçado;
  • não uso de óculos de proteção;
  • fadiga e cansaço muscular. 
A melhor prevenção de lesões passa pelo trabalho de fortalecimento, de coordenação e equilíbrio. Assim como são importantes os exercícios de mudança de direção e recepção ao solo que diminuem as lesões dos membros inferiores.

A prática de exercício é importante para manter uma vida activa.

                            Antigos alunos do clube Barbus

       Fotos durante Campeonato Nacional Hotel Vale Manso

Tânia Santo
fisioterapeuta
ACeS Médio Tejo
Prática privada Clinipé 

Sem comentários:

Enviar um comentário