terça-feira, 15 de março de 2016

Sabe escolher o seu ténis?


(crónica de Sandra Pita)


Indiscutivelmente, o calçado aparece sempre associado à moda. Gostamos de estar atualizados, utilizando “o que se usa”, o “que está na moda”, o que “fica bem”.

Com o calçado desportivo não é diferente… apesar de tentarmos adaptar o melhor ténis à modalidade desportiva que praticamos, esta escolha nunca aparece dissociada de grandes marcas, de determinados modelos e de… preços altos!

No entanto, para que a sua performance desportiva seja a melhor possível, é necessário existir uma criteriosa escolha no modelo que melhor se adapta a cada um de nós, de acordo com a modalidade e com a frequência com que a praticamos, pois caso contrário serão os nossos pés que sofrerão.

Quantos desportistas aparecem com algum tipo de lesão, maior ou menor, com alterações ao nível da pele que, aparentemente, são inexplicáveis, mas que depressa compreendemos que estão nada mais nada menos que associados ao calçado que utilizam? Seja qual for o caso, umas vezes por já ter sofrido algum desgaste, outras vezes por ser novo e não se adaptar bem às características únicas do pé, o calçado inadequado aparece como um dos principais motivos para desconforto e dor ao nível dos pés e membros.
  
Mas afinal… como é constituído um ténis?

Vejamos um exemplo de um ténis normal, de corrida. Este é formado por cabedal, palmilha, sola, entressola, sistema de amarração (atacadores) e talão. A qualidade do calçado é determinada pela tecnologia aplicada em todas essas partes. 

O cabedal é a parte superior do ténis, formada normalmente por tecido ou couro e tem a função principal de proteger e garantir o conforto necessário para os seus pés.
A palmilha tem a responsabilidade de manter o pé na postura correta dentro do ténis.
A entressola fica localizada entre o cabedal e a sola e tem a função de garantir a dispersão dos impactos e o controle dos movimentos. Normalmente é na entressola que estão localizados os sistemas de absorção de impacto, esses são formados por matérias semelhantes à espuma. Algumas marcas utilizam até sistemas de molas na entressola.
A sola fica em contato com o chão e deve garantir a tração e a estabilidade necessária para as práticas cotidianas.
A estrutura formada pelo atacador e os passantes é chamada de sistema de amarração (atacadores). Essa parte é fundamental para a firmeza dos pés dentro do ténis. Os calçados específicos para corrida são desenvolvidos para ficarem firmes, mas sem apertar, para não causar lesões. Por isso eles usam atacadores finos e passantes na forma de furos, que se concentram na lingueta.
O talão é a estrutura da parte posterior do ténis. Ela sustenta o calcanhar e posiciona o tornozelo corretamente dentro do calçado. Os modelos de corrida apresentam um reforço especial nessa parte, pois é preciso firmar o calcanhar e assegurar uma passada mais firme, evitando torções.
E agora…como escolher?

Caso pratique uma atividade desportiva casualmente, tipo uma caminhada duas a três por semana, pode perfeitamente escolher um calçado de acordo com esta modalidade, seguindo algumas dicas:
-  Experimente os ténis no final do dia ou depois de caminhar, quando seus pés estão mais inchados e sempre com meias apropriadas (desportivas);

- Com os pés dentro dos ténis, verifique se se sente confortável ao mexer os dedos;
- Ande um pouco ou até mesmo corra alguns passos na loja enquanto estiver experimentando os ténis;

- Aperte os atacadores do ténis na totalidade, começando pela ponta e ajustando uniformemente e verifique que não se sente apertado;
- Sinta o seu calcanhar e certifique-se de que este cabe firmemente dentro do ténis, sem sentir grandes folgas.
Caso seja praticante de uma modalidade desportiva, com treinos e provas frequentes, a escolha deverá ser muito mais criteriosa; para além das caraterísticas do calçado, que deve adaptar-se à modalidade desportiva, tem que ter em consideração as caraterísticas únicas do seu pé. Para isso é fundamental avaliar o seu tipo de passada, pois esta vai definir quais as adaptações que necessita para que a sua performance seja o mais alta possível. Essa avaliação é feita em pouco tempo, por profissionais de saúde qualificados, que lhe farão de imediato um diagnóstico e o aconselharão na escolha do ténis adequado para si.

Não Esquecer!
Todos nós nascemos descalços e o calçado foi uma invenção do homem para proteger, mas em muitos casos ele é um agressor. O calçado tem de que se adaptar ao pé, e não o contrário. Cada pé tem 28 ossos e dezenas de articulações e tendões e merece toda a atenção e cuidado.
O calçado desportivo tem a função de amortecer o impacto gerado a cada contato do pé com o solo e estabilizar os movimentos, evitando qualquer tipo de contusão, não esquecendo sempre que o modelo apropriado deve respeitar o tipo de passada.
Um bom calçado desportivo deve durar cerca de 6 meses de uso intenso, ou cerca de 700 km.
Ainda tem dúvidas?
Ao comprar um calçado desportivo, lembre-se que a sensação deve ser a de “quase” andar descalço.
Procure-nos, decerto o ajudaremos a escolher o calçado que melhor se adapta a si e, acima de tudo, aos seus pés… porque não são eles a sua base para a primeira passada?

Sandra Pita.
Licenciada em Enfermagem há 12 anos, exercendo em cuidados de saúde primários.
Formação pós-graduada em Geriatria e Gerontologia. Formação em Podologia. Formação em Feridas. Formação em Laserterapia.
Contacto: Tlm. 962565899 Email: info.clinipe@gmail.com
Endereço Profissional: Clinipé - Av. das Forças Armadas - Edifício Sopadel, loja 4.
2200-300 Abrantes.

Sem comentários:

Publicar um comentário